O começo de tudo

O nascimento da Kayá foi gestado com muito carinho – e veio no tempo certo para ser realizado com calma e precisão nos nossos objetivos. As criadoras já compartilhavam uma paixão pelos livros e uma amizade longa, desde os tempos de faculdade. E, em 2013, a Casa de Lua (www.casadelua.com.br) apareceu para consolidar vários outros desejos: a convivência com outras mulheres, o debate sobre o feminino em todos os detalhes, a criação de projetos pessoais que fizessem mais sentido do que o simples trabalho das 9 às 18 de todos os dias.

Durante as discussões para criação da Casa, fomos percebendo que havia, ali, material à beça para publicar. Havia mulheres que participavam de grupos de estudo sobre gênero e tinham projetos interessantíssimos. Havia histórias de vida que mereciam ser contadas para o mundo. Havia, entre nós, escritoras com poemas e livros inteiros engavetados cuja voz precisava ser ampliada.

Marcella e Laura decidiram tomar para si, então, essa empreitada. Para isso, pediram a ajuda inestimável de mais dois sócios, já cheios de experiência como donos da agência de comunicação Grappa, que toparam na hora realizar mais esse sonho.

Faltava, então, o nome. Kayá vem da língua bantu, e é uma palavra ligada ao candomblé de Angola. Nessa tradição, é o nome de Iemanjá. Não foi uma escolha aleatória: para nós, essa figura feminina representa os valores que queremos propagar: beleza, amor, generosidade, coragem, entre tantos outros.

Assim nasceu a Kayá. Com mães e pais cheios de amor que, agora, vêm dividi-la com o mundo.